O Sistema

Neo: O que é a Matrix?

Morpheus: Você quer saber o que é a Matrix? Matrix está em toda parte [...] é o mundo que acredita ser real para que não perceba a verdade.

Neo: Que verdade?

Morpheus: Que você é um escravo, Neo. Como todo mundo, você nasceu em um cativeiro. Nasceu em uma prisão que não pode ver, cheirar ou tocar. Uma prisão para a sua mente.

Vivemos num tempo turbulento e talvez seja o mais difícil desde nossa existência como Homo Sapiens. Temos altíssimas possibilidades de toda vida no destruição do planeta, de todo seu ecossistema e da nossa própria espécie a tal ponto que nossa única saída seja a vida lá fora, no espaço, aí a pergunta seria, para que? para fazer o mesmo?

Por outro lado, cada vez temos mais conhecimento e tecnologia que poderíamos usar para a melhoria da qualidade de vida e bem-estar não só nosso, como de todo o planeta. Lamentavelmente o que vemos e sentimos é que estamos presos a um “sistema” impessoal que não se preocupa nem um pouco com nossa qualidade de vida, nossa saúde, segurança, educação e muito menos com a nossa realização e felicidade.

Este “sistema” é controlado por gigantescas corporações sejam elas farmacêuticas, petroquímicas, alimentícias, industriais, financeiras e até religiosas que criam “plataformas” políticas para seu interesse com o objetivo claro e indiscutível de ganhar dinheiro, de nos controlar e sermos escravos deste sistema. Cada uma destas corporações tem um “produto”, que nós mesmos produzimos e consumimos, somos um número de produção e consumo, a pior escravidão que enfrentamos em toda a nossa história, pois a esmagadora maioria da população não sabe que é escravo.

Este “sistema” tem o “controle” em todos os níveis da nossa vida! que vão desde a nossa saúde, alimentação, um emaranhado sistema de leis que sempre vai jogar o jogo dos poderosos, pois foram eles que o criaram! e principalmente a nossa educação, fomos educados desde pequenos, gerações após gerações para sermos “cordeiros”, e hoje com as novas tecnologias chamadas de “informação” estamos sendo educados para sermos idiotas e inúteis. Independente do sistema político, econômico e até filosófico adaptado de acordo a " suposta livre escolha do povo" ele sempre vai beneficiar o poder.

Este sistema funciona em cascada e em círculos um dentro do outro, e nós dentro dele, onde cada integrante foi “treinado” e “condicionado” a exercer seu papel, muitas vezes um integrante controlando ao outro, alguns com mais poder e outros com menos, mas escravos ao fim. Ao mesmo tempo vivemos numa época excitante em relação às descobertas científicas praticamente em todas a áreas e também temos uma “rede” de comunicação sem precedentes, podemos achar praticamente qualquer informação em questão de minutos, nos conectar a outras pessoas em qualquer lugar do mundo, mas se avaliarmos o tráfico de dados que passam por essas nossas “redes” são para nos deixar mais idiotas e hipnotizados.

Passa a ser irônico, como que se sem querer o nome fosse proposital e com duplo sentido, uma rede de comunicação, mas ao mesmo tempo uma “rede” de uma aranha gigantesca tecida com o propósito de ficarmos presos e indefesos nela, para a qualquer momento servirmos de alimento. Este “sistema” consegue nos cativar e subjugar porque aceitamos os seus valores, e os tomamos como nossos, e ainda os defendemos, como por exemplo:


  • · A concepção de ser feliz dentro deste sistema é o acumulo de riqueza e uma vida baseada em “Ter” e não em “Ser”
  • · Trabalhos que exijam esforço físico são degradantes, com excepção dos esportes.
  • · Para saber sobre medicina temos que ser médicos, assim como para saber sobre nutrição temos que ser nutricionistas.
  • · Para termos sucesso temos que seguir todo o script que o sistema nos determina
  • · A felicidade está atrelada ao sucesso, ao status, a posse e ao quanto alto conseguimos “escalar”.


Além de nos inculcar constantemente estes conceitos o sistema sempre vai procurar nos isolar psicológica e emocionalmente, destruindo os valores do grupo, da família, da tribo, com exceção das atividades que levem as pessoas a mais estupidez e inconsciência ou a mantenham na hipnose e dentro do “rebanho”, ou seja grupos e atividades que não criem um laço íntimo de irmandade, de cooperação para o beneficio mútuo e a felicidade verdadeira. Sendo assim dentro do sistema somos obrigados cada vez mais a pensar somente em nossa individualidade e bem-estar e cada vez mais estamos cada um por si mesmo.

Perdendo a capacidade de nos relacionar verdadeiramente, de nos colocar no lugar e situação do outro, não pensamos no grupo, perdemos a visão da águia para olharmos como olha um rato e todos lutam por um pedaço de queijo maior sem se importar como o que tem que fazer para obtê-lo. E assim nos tornamos cada vez mais dependentes de outros e do próprio sistema, podemos até ser especialistas em uma área, mas somos totalmente ignorantes, despreparados e até analfabetos em outras.

Por exemplo um nutricionista pode saber muito sobre nutrição, alimentos, calorias, dietas mas é um completo analfabeto quando se trata de criar, de plantar e colher seu próprio alimento e ao montar seu prato ou sua própria dieta ele vai depender das corporações que cuidam deste “negócio” e com certeza estarão muito abaixo da expectativa que este pobre nutricionista tenha destes “novos” alimentos que são cada vez mais reinventados, manipulados e “melhorados” e que tem muito menos nutrientes do que deveriam ter e tem muito mais sustâncias que não são nutrientes e que não deveriam ser ingeridas. Ainda assim este nutricionista obtém a informação de que aquele ou este alimento tem na sua composição da própria corporação assim como o médico obtém os benefícios dos medicamentos da mesma corporação e não de um laboratório independente. A maioria das vezes a mesma corporação tem o controle pelo menos em parte da produção do alimento e do tratamento de doenças, então ela vende o adubo para tratar a terra para que esta fique “produtiva”, vende sementes “tratadas” para maior produtividade, vende o “defensivo agrícola” (que não é mais que um veneno criado para a guerra) para que a planta fique “saudável” e depois vende o medicamento para tratar as pessoas que estão “doentes”. Casualidade? Definitivamente cada vez mais perdemos a capacidade e o conhecimento justamente para aquilo que nos é mais importante à nossa própria vida!